8 Diferenças entre o inglês americano e britânico que podem te confundir

8 Diferenças entre o inglês americano e britânico que podem te confundir

Não é só o sotaque que define as diferenças do idioma inglês britânico e inglês americano. Assim como acontece com o nosso português de Portugal e português brasileiro, a língua inglesa é cheia de pegadinhas.

Se você vai viajar para um dos dois países ou, ainda, pretende realizar uma prova de conhecimentos do idioma, sugiro que dê atenção a essas diferenças entre um e outro.

Veja só algumas dicas e quanta confusão pode se criar quando não temos o domínio do inglês.

8 Diferenças entre o inglês americano e britânico que podem te confundir

8 Diferenças entre o inglês americano e britânico que podem te confundir

  1. Palavras escritas

Enquanto as pessoas que moram nos Estados Unidos tentam escrever de forma que se assemelhe àpronúncia, o contrário serve aos britânicos, que priorizam a escrita correta.

Um exemplo é a palavra centre, que os estadunidenses mudaram para center. Também é o caso das palavras que finalizam em our, como colour, neighbour elabour e que, no inglês americano, se transformaram em color, neighbor e labor.

  1. Expressões cotidianas

Enquanto para os estadunidenses é gasoline, para os britânicos é petrol; line é queue; vacation é holiday, cab é taxi; elevator é lift; apartment é flat; yard é garden; e cookie é biscuit. Por isso, ao viajar para lugares com inglês diferente do qual você está acostumado e aprendeu, tome cuidado ao escolher determinadas palavras.

Outro exemplo é com a palavra billfold no inglês americano, que para o britânico é wallet. Já para os britânicos, underground significa metrô, sendo que para os estadunidenses refere-se ao subterrâneo, uma vez que para se referir ao metrô eles usam a palavra subway.

  1. Conversas confusas

Além de expressões diferentes, elas podem ter significados menos claros para o outro. Um exemplo é wash up, sendo que para quem fala o inglês americano isso significa wash the dishes (lavar os pratos), enquanto para quem fala o britânico é wash your hands (lavar suas mãos).

  1. Verbos

Os estadunidenses não fazem uso do verbo have got, o que é bastante comum aparecer nas conversas entre britânicos. Dessa forma, para dizer que tem um carro, um americano fala “I have a car”, enquanto o britânico diria “I havegot a car”.

  1. Mais verbos

Quem fala o inglês americano usa o verbo auxiliar do, pois utilizam o presente simples. Já os britânicos fazem uso do presente perfeito e, com isso, utilizam o próprio verbo tohave para fazer perguntas. Ou seja, enquanto um estadunidense diria “Do you have a car?”, o britânico questionaria “Have you got a car?”

  1. Alimentos

Como no Brasil existem formas variadas de chamar uma mesma comida conforme a região que se esteja, o mesmo acontece com alguns alimentos entre o inglês americano e o britânico. É o caso dos chips, que para os britânicos é a batata frita (fatias finas com sal e vinagre).

Porém, para os estadunidenses, chips são o que o pessoal do Reino Unido chama decrisps (batatas crocantes, como as industrializadas no Brasil). Outro exemplo: berinjela para os americanos é eggplant e para os britânicos é aubergine. E mais: a palavra sweet é sobremesa para os britânicos, mas para os estadunidenses depois do jantar se come um dessert.

  1. Vestuario

A calça nos Estados Unidos é chamada de pants, mas para os britânicos essa palavra se refere às roupas íntimas, sendo que para as calças se diz trousers. No Reino Unido pants também é usado como expressão para algo chato, como em thatfilmwaspants(aquele filme era muito ruim).

  1. Gírias

Enquanto muppet quer dizer que uma pessoa é idiota, no Reino Unido, a mesma palavra refere-se a um personagem do programa The Muppet Show, nos Estados Unidos. Ainda sobre as gírias, a forma de falar dinheiro é bem diferente, enquanto um estadunidense fala cash, o britânico diz quid.

Outra diferença que pode gerar muita confusão é falar cigarro no Reino Unido, que é fag. Porém, essa mesma palavra nos Estados Unidos é uma expressão pejorativa usada para ofender homossexuais. Imaginou a saia justa?

Essas e outras dicas você pode esclarecer clicando aqui!

6 Dicas para sobreviver na primeira semana nos EUA

6 Dicas para sobreviver na primeira semana nos EUA

Muitas pessoas que conheci, curiosamente passaram por uma experiência comum ao saírem do país para viver no exterior: o pavor da primeira semana.

E eu notei que é uma constante, não importa o quanto uma pessoa esteja acostumada a viajar, a primeira semana de moradia fora pode ser um desafio.

Acontece que a emoção de largar tudo e viver fora do Brasil nos deixa cegos para alguns obstáculos que possam surgir pelo caminho. E no desenrolar da primeira semana, esses problemas acabam se manifestando e aumentando sua ansiedade.

Será que fiz certo? Será que tenho que voltar para o Brasil? Que saudade de casa!

Essas e mais centenas de outras perguntas semelhantes podem encontrar resposta se você se preparar melhor. Veja algumas dicas!

Dicas para sobreviver na primeira semana nos EUA

6 Dicas para sobreviver na primeira semana nos EUA

  1. Idioma

Um dos aspetos mais importantes para se virar nos Estados Unidos é saber o inglês. Você precisa entender e conseguir se comunicar pelo menos o básico. Fazendo um bom curso de inglês e exercitando a comunicação com os nativos, você poderá dominar o idioma mais rápido do que imagina! Mas claro, é preciso dedicação e força de vontade para aprender.

Caso você precise aprender mais, a dica é se matricular em uma escola de inglês assim que pousar em território estadunidense. Mas é preciso vir preparado, pois os cursos costumam ser caros, de qualquer forma, vale a pena porque são bem completos e ajudará você a sobreviver na primeira semana nos EUA.

  1. Clima

Conforme a região onde você morava no Brasil e para onde vai se mudar nos Estados Unidos pode ser bem difícil se adaptar devido às diferenças. Principalmente quem morava nas regiões mais quentes do país, onde é verão todo o ano, deve estar equipado com roupas apropriadas, agasalhos e calçados, pois as nevascas nos EUA são comuns nos estados situados no extremo norte do país.

Porém, não é preciso levar muitas peças, já que é possível encontrar roupas com preços baratos e que sejam realmente quentes para atravessar os meses de inverno dos Estados Unidos. Claro que manter-se bem alimentado, sem comer fastfood todos os dias, vai ajudar a evitar resfriados, ao fortalecer o sistema imune com alimentos saudáveis.

  1. Alimentação

E por falar em comida, sempre vale mais a pena fazer as compras no mercado e cozinhar em casa do que comer fora, embora existam restaurantes que contem com preços acessíveis, mesmo não sendo fastfood que, aliás, são mais baratos. Quem gosta de experimentar pratos novos vai se dar muito bem, pois os Estados Unidos é um país internacional e oferece comidas típicas de toda a parte do mundo.

  1. Moradia

Como no Brasil, morar nas capitais e mais perto dos bairros centrais é mais caro. De forma geral, os preços são altos e se a ideia é ficar pouco tempo um local pequeno pode ser a melhor opção. Porém, dividir apartamento com estudantes e outros moradores é uma forma não só de economizar, mas também de praticar o idioma e fazer novas amizades. O site Craigslist é uma dica para encontrar apartamentos para dividir bastante usado.

  1. Relações

Embora seja difícil definir um povo todo, os estadunidenses costumam ser educadores, embora individualistas e nem sempre sãomuito amigáveis ou simpáticos. Assim, a dica é não julgar as pessoas, respeitar a sua cultura e deixar que as relações fluam naturalmente. Em pouco tempo é possível conhecer pessoas quais as quais se pode aproximar mais e começar uma amizade.

  1. Costumes

Estude sobre a cultura norte-americana e conheça todos os costumes da região onde você pretende morar. Assim como o Brasil, EUA é um país muito grande e de muitas diferenças, por isso é importante se ambientar para conseguir se integrar melhor.

Assim, o hábito da gorjeta, a forma de cumprimentar as pessoas e outros detalhes do cotidiano farão a diferença se você se dedicar a aprender a viver como eles vivem.

Mas nada disso substitui o prazer da descoberta. Então, se você está embarcando para uma nova vida fora do Brasil, longe da sua família, da sua cultura, dos seus amigos e lugares que conhece desde criança, a dica é abrir a mente e o coração para todo o aprendizado que virá.

6 Oportunidades para trabalhar nos EUA

6 Oportunidades para trabalhar nos EUA

Conseguir uma boa oportunidade de emprego é o sonho de quem busca o combo americano: conhecer + morar + trabalhar nos EUA.

Mas nem sempre os planos de morar combinam com as melhores ofertas de trabalho para a área que deseja ou para a qual tem experiência comprovada.

É por isso que fiz a lista a seguir, reunindo 6 regiões diferentes do país onde você pode encontrar um emprego que se encaixe nos seus planos. São oportunidades nas mais variadas áreas profissionais, sem dúvida haverá algo para você. Então aproveite!

Todas as oportunidades para trabalhar nos EUA

6 Oportunidades para trabalhar nos EUA

  1. Texas

É um dos estados que conta com mais oportunidades de trabalho para quem vai morar em uma de suas cidades, seja em busca de uma vida melhor ou em de experiências para levar para toda a vida. A cidade de Austin, por exemplo, é um bom destino a quem atua nas indústrias de alta tecnologia.

Na capital e na região metropolitana é possível encontrar a sede de empresas como Google, Apple, IBM, Dell e outras. Então, se você é do ramo terá boas chances de se firmar no sul estadunidense. Para pessoas de outras áreas também existem oportunidades, já que segundo levantamento recente, a cidade com mais de 800 mil habitantes é o local com as melhores ofertas de emprego em todo o país.

Houston, na região metropolitana do estado texano, também está entre as melhores cidades para buscar trabalho. O destaque fica para o setor de energia, inclusive, gás e óleo, sendo que algumas empresas presentes na cidade são Shell, BP eExxon-Mobil, entre outras.

Ainda próxima à capital texana, Dallas também oferece muitas oportunidades para trabalho nos EUA, principalmente, no setor bancário, de transporte e de comunicação.

  1. New Orleans

Não é a capital, mas sim, a cidade mais populosa do estado do Louisiana, também ao sul do país estadunidense. A região apresentou nos últimos anos aumento das oportunidades de emprego, em especial, do setor de energia, sendo que a Entergy é uma das maiores do mundo.

A proximidade com o Golfo do México torna a cidade muito propícia para sediar várias filiais de petrolíferas.

  1. Washington D.C.

Quem prefere estar na capital dos Estados Unidos também encontra oportunidades de trabalho para se fixar no país. Da mesma forma cidades próximas, como Arlington e Alexandria. Por se tratar de uma região muito rica, ao redor da Casa Branca estão sediadas empresas do setor financeiro de grande importância.

  1. Nova York

Talvez a capital do estado de mesmo nome seja considerada por muitas pessoas a melhor entre as oportunidades para trabalhar nos EUA, já que além de trabalhar na cidade é possível desfrutar de uma série de atrativos turísticos.

Além de ser uma das áreas mais densas demograficamente do mundo, oferece emprego nos ramos cultural, comercial e financeiro. Algumas das maiores corporações encontram-se nela, como o Citigroup, Pfizer e Time Warner.

  1. Intercâmbio

Se você pretende ir aos EUA para adquirir experiência temporária, pode conseguir isso através de empresas de intercâmbio. São muitas que oferecem essa possibilidade, e são ideais para estudantes que tendem a aproveitar as férias no Brasil para ganhar um extra e ampliar sua experiência fora daqui.

E como é inverno no fim do ano nos EUA, você pode conseguir um emprego como instrutor de esqui, assistente de cozinha em hotéis, recepcionista, salva-vidas, etc.

  1. Multinacionais

Você também pode buscar emprego em uma companhia multinacional que atue no Brasil e que tenha operações nos Estados Unidos. Conforme a sua experiência e cargo, é possível pedir uma transferência e se mudar para o país estadunidense.

Embora seja uma oportunidade para conseguir em longo prazo, é uma forma de já entrar no país com emprego, o que vai ajudar em muito a sua fixação em território estadunidense.

Se a vontade bateu, você precisa acelerar seus estudos com a língua desde já! Clique aqui e faça o melhor curso de inglês online.

4 Oportunidades para estudar nos EUA

4 Oportunidades para estudar nos EUA

Estudar nos EUA pode ser uma forma valiosa de mudar seu destino profissional. Não quero, com isso, desmerecer o ensino nas instituições brasileiras, mas a oportunidade de fazer um curso no exterior é algo que não se pode desperdiçar.

Se esse é o seu objetivo, existem alguns caminhos para chegar lá. O importante é ter em mente que você viverá uma experiência completamente diferente da vida universitária no nosso país. E quando digo “diferente” não quero dizer que é bom ou ruim, mas sim enriquecedor.

Conheça a seguir 4 oportunidades para estudar nos Estados Unidos e comece a traçar seu futuro.

4 Oportunidades para estudar nos EUA e se dar bem

4 Oportunidades para estudar nos EUA

  1. Ensino médio gratuito

Quem está na escola pode conseguir uma bolsa para cursar o ensino médio nos Estados Unidos. Para tanto, é preciso participar dos concursos que acontecem todos os anos para selecionar os sortudos que vão participar dos programas que contam com bolsa.

Alguns deles são o Global Citizen of Tomorrow do AFS, o World Study e o Jovens Embaixadores da Embaixada Americana nos Brasil, além de programas promovidos por entidades como UWC Brasil e o Rotary. Para concorrer é preciso acessar cada site e avaliar em quaisdeles você pode se candidatar, já que em alguns casos existem pré-requisitos nos quais os interessados devem se encaixar.

  1. Ensino Médio pago

Algumas bolsas de estudos são destinadas aos jovens com poucos recursos, assim, se esse não for o seu caso, é possível fazer parte do ensino médio nos Estados Unidos por meio de empresas de intercâmbio, que oferecem uma série de programas. Em geral, recomenda-se ao aluno interessado nessa aventura estudar apenas um semestre fora do país, preferencialmente, do 2º ano.

  1. Faculdade gratuita

Existem entidades brasileiras, inclusive, instituições de ensino, que oferecem bolsas de estudos para os alunos terem uma experiência acadêmica nos Estados Unidos. Também há faculdades estadunidenses que concedem bolsas de estudos a alunos brasileiros.

O Education USA é uma organização que ajuda os interessados em estudar no país estadunidense, indicando quais são as possibilidades e modalidades de bolsa. São 29 escritórios em todo o Brasil, assim, basta acessar o seu site, procurar o endereço mais próximo ou contatá-lo por e-mail ou telefone.

Outra dica é buscar a Fundação Estudar, que conta com programas de bolsas de estudos para faculdades estadunidenses. Já o IIE – International Institute of Education oferece um buscador onde é possível encontrar muitas opções de bolsas de estudos em diferentes modalidades, assim como o Funding US Study, que fornece informações sobre todas as oportunidades de estudo.

  1. Universidade paga

As bolsas de estudos para cursos a faculdade nos Estados Unidos são muito concorridas, da mesma forma que ocorre com as oferecidas para o ensino médio, sendo que o número delas é limitado. Além disso, nem todos os interessados se encaixam no perfil. Para esses casos, uma opção é investir financeiramente.

Enquanto para o ensino médio é possível contatar uma empresa de intercâmbio, para os interessados em fazer todo o curso superior nos Estados Unidos é preciso também se sair muito bem nos estudos, da mesma forma que as universidades estadunidenses exigem dos alunos que entram em suas faculdades.

Diferente daqui, lá não existe o vestibular e a aprovação de um aluno em uma determinada faculdade depende do seu histórico escolar, com notas, atividades extracurriculares, etc. Embora exista a realização de uma prova, contam pontos ainda a entrevista feita pelo aluno e o seu entusiasmo em entrar na universidade.

Então, se esse é o seu intuito é preciso se programar com antecedência, ainda no ensino médio, para ter boas notas. Além disso, você terá que mostrar que domina o inglês, através de prova de proficiência, bem como passar por um dos exames educacionais padronizados nos Estados Unidos para avaliar a sua capacidade.

Ou seja, pode ser bastante trabalhoso fazer todo um curso superior no exterior, além de ser exigida ainda a documentação completa necessária para entrar nos Estados Unidos. Porém, para quem deseja realizar esse sonho com certeza vale a pena o investimento financeiro.

A experiência de viver fora do Brasil é enriquecedora e vai ampliar seus horizontes. Sem dúvidas, um divisor de águas na sua carreira! Comece já a se preparar e aperfeiçoe o idioma clicando aqui.

O que os brasileiros podem aprender com a cultura inglesa

O que os brasileiros podem aprender com a cultura inglesa

Você já se fez a pergunta: o que os brasileiros podem aprender com a cultura inglesa?

É possível encontrar costumes nos quais vale a pena se inspirar e produzir em praticamente todas as culturas espalhadas pelo mundo. Embora muito se fale do comportamento frio dos ingleses, a verdade é que alguns aspectos da sua cultura são dignos de reprodução. Veja alguns exemplos.

3 Coisas que os brasileiros podem aprender com a cultura inglesa

O que os brasileiros podem aprender com a cultura inglesa

1 – Doação de roupas em casa

em algumas épocas do ano é comum que os ingleses recebam em sua casa uma grande sacola na qual podem colocar roupas para doação. É isso mesmo! Se Maomé não vai até a montanha, a montanha vai até Maomé.

Afinal de contas, muitas vezes a correria faz com que a gente se esqueça, muitas vezes, de tirar um tempinho para separar aquelas roupas que não servem mais para doação. A ONG responsável pela iniciativa deixa grandes sacos de lixo na porta das casas e prédios para que os moradores depositem as suas doações e, no final do dia, as buscam.

2 – Prazer do chá

No Brasil, o cafezinho é um item que não pode faltar de modo algum no dia a dia de muitas pessoas. Embora seja uma bebida que conta com vantagens para a saúde, não deve ser ingerida em excesso, mas e aí, quando bater aquela vontade, o que fazer? Os chás são opções saudáveis de bebidas que podem substituir o café em alguns momentos do dia.

Além disso, o chá tem o benefício de ser funcional. Existem ervas para ajudar na digestão, os diuréticos, para eliminar as toxinas e outros. Também tem os chás com cafeína, como o preto, que na Inglaterra é uma das bebidas preferidas. Ele costuma ser ingerido com leite e acompanhado de guloseimas na hora do chá.

Tradicionalmente, os ingleses fazem o chá da tarde, apreciando a bebida e comendo algum doce e salgado juntos, como o lanche da tarde, aqui no Brasil. Que tal experimentar a mudança? Porém, não abuse do chá preto, pois a cafeína é uma amiga até certo ponto, depois pode se tornar a sua maior inimiga.

3 – Educação e pontualidade

Os bons modos são uma constante na vida dos britânicos, porém, menos calorosos que os brasileiros, apertam mais as mãos do que dão os beijinhos no rosto – apenas nos mais próximos. Quanto à pontualidade, são inflexíveis, tanto que existe a expressão quando alguém não se atrasa (muito comum no Brasil) “pontualidade britânica” – e quem disse que é ruim?

Muitas vezes, as pessoas colocam a culpa na correria do dia a dia para se esquecer completamente da educação. Sem excessos, comprimentos amigáveis apenas fazem bem a quem dá como o recebe e não se atrasar também é uma forma de ser educado com a pessoa que está esperando. Bons costumes a aprender com os ingleses nunca são demais.

O que já aprendemos

Curiosamente, alguns costumes são bem semelhantes aos do Brasil, como o gosto pelo futebol, até porque foram os ingleses que inventaram o esporte. Eles também se reúnem nos pubs (lembrando que muitos bares por aqui são inspirados nos pubs irlandeses e londrinos) para comer e beber.

Outros costumes semelhantes são os de superstições. Como para nós, passar por baixo de uma escada, quebrar um espelho e abrir o guarda-chuva dentro de casa são sinais de azar. Já o que dá sorte é achar um trevo de quatro folhas, mas diferente dos brasileiros também é sinal de boa sorte passar por um gato preto.

O que mais aprender com os ingleses

– não dar importância a ter carro e usar o transporte público,

– comer frutas,

– gostar de alimentos orgânicos,

– belos jardins,

– bons temperos, como o curry.

Eles também costumam ler muito, seja no ônibus, no metrô ou no trem. O que você pode aderir desde já, não é? E quem sabe desenvolver a habilidade de ler com fluência a língua inglesa? Você pode clicar aqui e fazer o Inglês do Jerry agora mesmo para aperfeiçoar o idioma.

8 Lugares no Brasil onde você se sentirá no Reino Unido

8 Lugares no Brasil onde você se sentirá no Reino Unido

Você é um apaixonado pela cultura inglesa? Pois saiba que, mesmo quando você não vai até o Reino Unido, o Reino Unido pode vir até você. Quero dizer com isso que existem alguns lugares incríveis super especiais no Brasil onde você vai experimentar tudo o que há de melhor na Inglaterra para matar um pouquinho a saudade ou a vontade de estar lá.

Nessa lista você vai encontrar opções muito boas, o que prova que o brasileiro sabe apreciar o que cada país tem melhor. Confira e delicie-se!

8 Lugares onde você se sentirá no Reino Unido

8 Lugares no Brasil onde você se sentirá no Reino Unido

  1. Hotel Toriba

Localizado em Campos do Jordão, esse hotel segue à risca a cultura do chá da tarde ao estilo inglês, oferecendo aos hóspedes e a quem mais deseja degustar deliciosos chás, doces e salgados.

Além disso, o lugar em si já vale a pena conhecer, com um belíssimo jardim e construção em estilo montanhês.Quanto às guloseimas, destaque para os bolinhos, tortas e geleias caprichadas e saborosíssimas.

  1. As noviças

Na capital paulista, as opções parase sentir no Reino Unido são variadas, inclusive, no que diz respeito à hora do chá. Essa casa de chás que parece um convento, inclusive, porque as atendentes estão vestidas de freiras, possui decoração colonial e som ambiente de cantos gregorianos.

São 60 guloseimas diferentes e mais de 20 variedades de chás, destacando-se entre eles o preto com canela e o de laranja com cravo. Quanto às salgados e doces, esse lugar com muito jeito de Reino Unido, que faz você viajar no tempo,oferece quiches, strudel de maçã, mousse de abacaxi, folhados e torta holandesa.

  1. Emiliano

Outra casa de chá ao estilo britânico que serve o chá da tarde em São Paulo.A variedade de 70 tipos de chás pode ser combinada com uma série de delícias, como brioche com geleia de frutas vermelhas, bolo de fubá e muffin de chocolate e cenoura.

Quanto aos salgados, o destaque fica para o sanduíche de salmão e cream cheese no pão preto.O diferencial aqui é que o chá é servido em bules para quatro pessoas ou mesmo em saches individuais. Também é possível escolher doces e salgados que se harmonizam com alguns tipos de chás.

  1. Sofitel

Como em Londres, esse é um hotel que conta com chá da tarde para os hóspedes e visitantes. São 25 tipos dechá, sendo que uma das especiarias é o peppermint com um suave gosto de menta. Para comer, saborosos croissants, brioches e minibaguetes, além de outras opções, como os doces, destacando-se a torta de amêndoas e a folhada de maçã. Assim como nos chás londrinos, é servida ainda uma taça de espumante.

  1. All Black

Outra forma de se sentir no Reino Unido é visitando os pubs inspirados na cultura inglesa. Esse é um dos exemplos localizados na capital paulista, que além do clima típico dos pubs irlandeses com cores escuras e iluminação fraca, oferece deliciosas cervejas, inclusive a irlandesa Guiness. Para acompanhar, alguns dias tem música ao vivo, inclusive, rock e soul.

  1. O’Malley’s

Nesse lugar especial a atmosfera é ainda mais irlandesa, com os copos pints para servir o chope e pratos típicos, inclusive, o filé mignon com molho, cebola, cenoura e batatas. O bar conta ainda com biblioteca delivros na língua inglesa para os clientes, ideal para quem deseja se aprofundar na cultura do Reino Unido. Além disso, é possível encontrar britânicos no pub para testar o seu inglês.

  1. London Station

Aqui a inspiração é a capital inglesa, Londres, com cervejas importadas e boa música. O destaque da decoração está ao redor da pista de dança, onde existem diversas referências ao metrô londrino.

  1. Táxi

Também é possível sentir-se no Reino Unido ao pegar o táxi para ir para casa. Em São Paulo, os pubs Original e Astor contrataram um legítimo táxi londrino para os clientes. O veículo comporta até seis passageiros, além de a direção estar do lado direito. O serviço é gratuito.

Visite cada um desses locais e vivencie um pouco do clima britânico, aproveitando também para treinar o seu inglês.

Sente que ainda está longe de dominar a língua para viajar e se virar fora do Brasil? Então clique aqui e faça o Inglês do Jerry!

Os 6 Melhores lugares para tomar um típico chá inglês (na Inglaterra)

Os 6 Melhores lugares para tomar um típico chá inglês (na Inglaterra)

Se você deseja morar um tempo na Inglaterra ou fazer turismo, recomendo que procure imergir na cultura britânica vivenciando um dos momentos mais tradicionais do país.

Por isso, resolvi transformar esse post em um guia, com os melhores lugares onde você pode tomar um típico chá inglês na Inglaterra e se inspirar com as delícias que acompanham essa ocasião mais do que especial.

Os 6 Melhores lugares para tomar chá inglês

Os 6 Melhores lugares para tomar um típico chá inglês (na Inglaterra)

  1. The Athenaeum hotel: você pode tomar o tradicional chá em casa, ou na casa de amigos, mas existem muitos lugares que tradicionalmente abrem as portas para essa ocasião com deliciosos acompanhamentos. É o caso desse hotel, que oferece um atendimento de alta qualidade, com garçons que nunca deixam a sua xícara vazia.

Para acompanhar, sanduíches, biscoitos e bolinhos com geleia, bolos doces e alguns tipos de salgados. Outras opções são as trufas de chocolate com rume a torta de frutas com pudim caramelado de uísque. Os preços costumam ser salgados, mas não se trata apenas de um chá.

  1. The Ritz: a maioria dos locais para apreciar o chá da tarde em Londres, ao menos quando se trata dos melhores, são os hotéis. Nesse aqui, o chá é servido em um salão ultra luxuoso e, por isso, existem regras de vestimenta: mulheres com saias abaixo dos joelhos e homens com terno e gravata.

É um dos locais mais disputados, a reserva deve ser feita com meses de antecedência. A decoração é elegantíssima e para comer são oferecidos bolos e biscoitos feitos na padaria do próprio hotel, bem como a geleia de morango. Outras opções são os sanduíches e doces.

  1. Hotel Berkeley: outro local muito sofisticado, sendo que é no salão caramelo onde o chá é servido em porcelana listradado designer inglês Paul Smith. Seguindo o clima do estilista, aqui, o cardápio é chamado de Prêt-À-Portea com deliciosas guloseimas que ganham formas de objetos ligados à moda.

Os biscoitos são sapatos MiuMil e o bolo de gengibre e laranja se apresentada como uma bolsa clutch da Valentino, entre outras brincadeiras. Além de muita moda, nesse chá são priorizados os doces, com poucas opções de salgados, sendo o sanduíche de atum com geleia de ameixa e funcho o grande destaque.

  1. Orange Pekoe: quem prefere fugir do roteiro dos hotéis encontra no centro da capital inglesa diversas casas de chá e café aconchegantes para degustar saborosas iguarias. Só de chá preto e de ervas são mais de 70 variedades. Nessa casa de chá o atendimento é agradabilíssimo, com garçons que ajudam a escolher um chá conforme o que será comido.

É possível ainda comprar chá e ter a orientação de um chá-sommelier ou tearista. Nos feriados são oferecidos chás especiais. O café também é uma de suas especialidades e as opções doces e salgadas contam com variedades sem glúten.

  1. Sanderson Hotel: aqui, o chá da tarde é inspirado no chá da tarde do Chapeleiro Maluco, que acontece no filme Alice no País das Maravilhas. É um dos chás mais criativos de Londres, com menu dentro de livros antigos e utensílios pintados com o rei e rainha do xadrez. Quanto aos doces e salgados saem um pouco do que é visto em outros lugares.

Os bolinhos são substituídos por mini quichescom azeitonas e queijo e os sanduíches são de pão caseiro de centeio, limão, espinafre, tomate e outros. Já alguns doces são bolo de geleia de morango em formato de relógio e a sobremesa de morango e creme parecem cogumelos.

  1. Hotel Blakes: essa é uma opção mais econômica em comparação aos demais, pois não é oferecido o repeteco de chá, doces e salgados, mesmo assim, é um lugar muito agradável, ideal para quem não quer exagerar na dose.

A decoração possui inspiração indiana, russa e chinesa, com escadaria de bambu (fica no subsolo) e paredes laranja e preto. Segue o cardápio tradicional, com muitos salgados, poucos doces, destacando-se o bolo de chocolate e os scones (que se assemelha ao sonho, aquele pãozinho doce bem famoso por aqui).

Agora é fazer as malas e aproveitar as maravilhas britânicas para aprender um pouco mais sobre sua cultura e idioma. E para chegar sabendo falar com fluência e domínio do vocabulário inglês, adquira agora o melhor curso online Inglês do Jerry clicando aqui.

Como treinar o inglês para entrevista de emprego

Como treinar o inglês para entrevista de emprego

Quem está se preparando para uma entrevista de emprego na qual terá que mostrar as suas habilidades na língua inglesa deve estar afiado para se sair bem e aumentar as suas chances de seleção. Assim, algumas dicas de como treinar o inglês para entrevista de emprego vão ajudar nessa hora.

Uma delas é estar bem atento ao que o entrevistador vai dizer, ainda mais se a entrevista é feita toda em inglês. É possível que mesmo que as suas funções sejam especificamente técnicas, o entrevistador comece com perguntas genéricas em inglês para conhecê-lo melhor…

Como treinar o ingles para entrevista de emprego

Tell me about yourself (Me fale sobre você)

Essa pode ser a questão que inicia sua entrevista. Nessa hora, é importante falar de suas habilidades, inclusive, daquelas que o qualifiquem para o cargo. Por isso, vale treinar em casa o que você vai falar sobre você no idioma para que fique o mais natural possível.

Até porque, como acontece em qualquer entrevista de emprego, é importante estar relaxado e atento, já que a impressão é a primeira que fica.

What are your strengths? (Quais são seus pontos fortes?)

Outro bom momento para desenvolver suas habilidades de falar sobre você. Aproveite esse momento para deixar o idioma fluir para não perder a oportunidade de “vender seu peixe”.

Mas como fazer isso sem parecer um iniciante no inglês? Veja algumas dicas a seguir.

Dicas de como treinar o inglês

Algumas perguntas que podem surgir com foco específico na sua experiência profissional e conhecimento sobre a vaga são:

– Why are you interested in working for our company? (Por que você quer trabalhar nesta empresa?)

– Why did you leave your last job? (Por que saiu do seu ultimo emprego?)

– Do you have any questions for me? (Você quer me fazer alguma pergunta?)

Por isso, mesmo quem sabe falar inglês de forma bem fluente deve se preparar para a entrevista, uma vez que pode se deparar com a necessidade de falar sobre temáticas com as quais não está acostumado. Assim, treinar é importante a qualquer candidato e, na hora de fazer isso, uma dica é falar em frente ao espelho.

Essa técnica vai ajudá-lo a se observar enquanto fala, tornando possível corrigir possíveis erros mais facilmente. Outra dica é pedir que alguém faça as perguntas para você responder. Se essa pessoa souber o idioma melhor.

Porém, não é uma exigência, pois falar inglês em frente deoutra pessoa é útil para trabalhar possíveis receios que tenha no momento de estar cara a cara com o entrevistador. Além disso, quem tiver a primeira experiência de entrevista em inglês precisa treinar o vocabulário usado em sua área de atuação. Se isso não for feito, ficará visível que você não serve para a função.

O que pode ajudar você a passar na entrevista

Especialistas afirmam que se o candidato à vaga que exige o inglês não tiver ao menos o nível intermediário na língua inglesa será perda de tempo entrar para a seleção. Dificilmente o nível básico é suficiente para se dar bem em uma entrevista de emprego.

No entanto, mais importante do que isso é ser sincero e não dizer que é fluente no idioma quando não domina realmente o inglês. Nem sempre a informação errada é dada de propósito, pois existem pessoas que até dominam bem o idioma, mas apenas a gramática e não a conversação, o que para esses casos é o fundamental.

O que também pode acontecer é do candidato acreditar que domina o inglês, porém, somente para conversas informais, sendo que o mínimo (ou um pouco mais) a respeito da sua área de atuação é necessário conhecer. Assim, apenas se candidate a vagas que condizem com as suas habilidades, caso contrário, isso atrapalhará a sua imagem.

Uma última dica que vou deixar aqui hoje é: evite fazer com que o entrevistador repita as perguntas, o que só é pior do que cometer muitos erros em uma única resposta. Você pode até conhecer bem o idioma, mas o nervosismo atrapalhar, por isso, o preparo emocional também é fundamental.

9 Países que você pode morar falando inglês

9 Países que você pode morar falando inglês

Em tempos que tanto se fala em morar fora do Brasil, alguns países oferecem oportunidades para estudar, trabalhar ou mesmo para dar um tempo absorvendo a cultura local enquanto exercita o novo idioma.

Se você procura um lugar para treinar a língua, confira a lista a seguir na qual reuni 9 países onde você pode morar falando inglês e viver uma experiência enriquecedora.

Os 9 países onde você pode morar falando inglês

9 Paises que voce pode morar falando ingles

  1. Estados Unidos

Embora seja o primeiro país de língua inglesa que muitas pessoas pensam quando se fala em morar no exterior, não é o único. Porém, existem vários motivos para ser uma entre tantas opções. O primeiro deles pode ser o fato de ser uma nação imensa, com muitas cidades maravilhosas para conhecer.

Quanto ao idioma, existem gírias que nenhum outro país que fala o inglês conhece e, por isso, nem sempre o idioma é falado de modo correto. O único cuidado e para não ganhar alguns quilos a mais ao se adaptar à alimentação nem sempre saudável dos estadunidenses.

  1. Canadá

É o local perfeito para falar o inglês corretamente, além do custo de vida ser menor em comparação ao país vizinho. Já quem deseja aprender a nova língua no próprio país vai encontrar escolas de alto nível. Quanto ao visto, é mais simples e barato do que para morar nos Estados Unidos. O lado negativo são as baixas temperaturas do país e a longa distância entre as cidades.

  1. Caribe

Perfeito para quem deseja morar em um local paradisíaco, com tempo agradável todo o ano e com vista para as mais fantásticas belezas naturais. Embora encontrar trabalho possanão ser a tarefa mais fácil é possível investir no segmento de turismo, o mais forte da região.

  1. Inglaterra

É um local muito procurado pelos brasileiros, mesmo por quem não domina a língua inglesa, porque conta com muitas escolas destinadas aos estrangeiros. No entanto, algumas cidades, inclusive, as principais, como Londres, é bastante cara, mas à medida quese entra no interior do país o custo de vida diminui, além de se encontrar pessoas mais amigáveis.

  1. Escócia

O seu vizinho é bastante acolhedor, o que o torno um dos países que você pode morar falando inglês ou até aprender lá. Mesmo sendo uma nação menos lembrada ao se falar em intercâmbio, conta com muitas escolas de qualidade para tirar de letra o inglês. O ponto negativo é o tempo na maioria dos dias úmido e frio.

  1. Irlanda

É um país muito procurado por brasileiros que desejam criar raízes fora daqui. Além de ter uma cultura muito amigável com os estrangeiros, quem pretende ficar por lá algum tempo possui a vantagem de poder conhecer toda a Europa sem gastar muito, já que saem voos baratos para os demais países.

  1. Austrália

Também é um país com muitos brasileiros, inclusive, por causa do clima, com muito sol e praia, o que colabora ainda para o estilo de vida, amigável e descontraído. Para os surfistas é ainda mais perfeito. No entanto, quem deseja conhecer várias cidades pode ter que gastar mais com as viagens.

  1. Nova Zelândia

É perfeita para quem não só quer criar raízes em outro lugar como também ir para bem longe. Por outro lado, é o paraíso para quem gosta de viver próximo à natureza e desfrutar de algumas das paisagens mais belas do globo.

  1. África do Sul

Tornou-se um destino muito procurado na hora de aprender inglês, pois o custo de vida é bem baixo em relação aos demais países. Outras vantagens são o clima quente e o idioma que é falado de modo mais devagar e, por isso, melhor para quem ainda não domina o inglês.

Como no Brasil, a África do Sul possui diversos problemas sociais e, por isso, não é o local mais seguro entre os demais. Porém, quem apreciar a semelhança com a cultura brasileira terá uma ótima experiência.

Depois dessa lista, você já pode fazer as malas e se preparar para viajar e exercitar seu inglês ao máximo. Continue por aqui e você poderá conferir várias dicas para saber mais sobre a cultura inglesa.

Como estudar inglês em casa em 8 dicas práticas

Como estudar inglês em casa em 8 dicas práticas

Além dos aplicativos dos quais falei no artigo anterior, é importante que você se dedique para realmente estudar inglês todos os dias. Eles podem ser úteis em alguns momentos cruciais do seu dia, porém não dá para apostar só nisso para sair falando o idioma com fluência.

Seja qual for seu objetivo no aprendizado da língua, você deve criar um sistema de estudo que funcione na sua rotina.

Mas por que estudar todos os dias?

Mesmo que você tenha facilidade em aprender novas línguas, o inglês não é sua língua-mãe e isso significa que você deverá treinar seu cérebro para que ele não insista em traduzir tudo para o português!

Então se você tem apps no seu celular, faz curso presencial e mesmo assim não se sente confortável para sair falando inglês fluentemente, está faltando estudar inglês em casa. Eu vou dar algumas dicas que podem te ajudar com isso e tornar o aprendizado mais divertido. Confira!

8 Dicas para estudar inglês em casa

Como estudar inglês em casa em 8 dicas práticas

  1. Ter uma boa razão para aprender a falar inglês é o que vai ajudar você a manter o foco. Defina o seu objetivo e coloque-o em um mural (na geladeira, na tela do computador, etc) onde você possa visualizar todos os dias.
  2. Altere o idioma do seu computador, celular e outros equipamentos. A partir de agora, você precisa estar em contato com o inglês o tempo todo. Mesmo que você tenha dificuldade de lidar com os aparelhos mais simples no começo, em poucos dias verá que essa compreensão será automática.
  3. Se você ouvir um músico ou banda cantando em inglês e prestar atenção, treinando o seu ouvido e mesmo repetindo as frases, estará desenvolvendo a conversação. A dica é ouvir e anotar num papel a letra conforme você entender, depois poderá conferir se fez a adequação correta dos verbos e etc.
  4. Quando estiver com o vocabulário um pouco mais amplo, você pode tentar ler um livro do gênero que você curte. Ou então pesquise artigos da sua área profissional, reportagens sobre assuntos variados, sites com textos em inglês… Tudo isso ajudará você a se conectar com o idioma.
  5. Sempre que possível, assista a séries ou filmes americanos e ingleses sem dublagem. Você perceberá que, com o tempo, seu ouvido vai aperfeiçoar a técnica e você conseguirá entender sem conferir a legenda. Na evolução dessa prática, elimine as legendas e repita os diálogos dos personagens.
  6. Separe 30 minutos por dia para fazer exercícios de captação da língua, sempre os lendo em voz alta. Não importa a hora, se você só pode fazer isso à noite antes de dormir, o importante é que faça.
  7. Converse com outras pessoas em inglês. Você pode começar a praticar com amigos que falam o idioma melhor do que você, mas com o tempo a ideia é fazer amigos estrangeiros nas redes sociais. Além de treinar você vai ampliar sua rede e se divertir!
  8. Estabeleça o dia do inglês da semana, em que todas as pessoas que moram na sua casa apenas falarão em inglês. É claro que nem sempre você conseguirá ter sucesso nessa empreitada, pode ser que seu pai não queira nem saber, ou seu filho seja pequeno demais para entender o que está dizendo, mas mantenha seu propósito perguntando e respondendo a todos em inglês. Assim, você não apenas estará praticando o idioma, como também estará estimulando os demais a ampliar os conhecimentos.

Viu como pode ser divertido aprender inglês no dia a dia? A ideia é manter a regularidade e a dedicação, em poucos meses você perceberá uma melhora na fala e compreensão. Bons estudos!